19 de julho de 2012

Seja simples e ponto final

Hoje lembrei-me de uma máxima dita por Pascal que nos aconselhava a não sairmos do nosso quarto se quiséssemos ser felizes. Não é demais esta constatação? Ela nos faz pensar no conceito ser feliz.

Quando saímos de nosso universo particular, seja ele a nossa casa ou o nosso quarto, temos a oportunidade de assimilar aprendizados e prazeres que quase sempre vêm mesclados com desconfortos e incompreensões. Este é o mundo real! Não é fácil lidar com a dimensão e o pluralismo das pessoas, ainda mais no mundo atual onde todos querem estar conectados com aplicativos e tecnologias e estão desaprendendo a olhar nos olhos e a sorrir desinteressadamente. É fácil deixar alguém descontrolado hoje em dia: só tirar o seu celular de suas mãos por alguns minutos. Soa como se estivéssemos tirando o tubo de oxigênio que o alimenta.

Temos uma tendência, quase doentia, de criar obstáculos que nos complica quase tudo na vida. Penso que a solução única é trabalharmos em direção a descomplicar tudo e todos. As soluções mais simples são sempre as mais eficientes. Temos que aprender e exercitar o ato de não permitir que nossa mente dificulte o que é fácil - acredito que este pode ser um dos grandes segredos da felicidade duradoura. 

Um barulho de chuva no telhado ao adormecer tem o efeito bem diferente do que a compra de um iPad, por exemplo. Já parou para pensar nisso?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio