26 de outubro de 2011

Malhação interna

Outro dia, durante minha aula de Yôga percebi uma pequena cicatriz no meu corpo que eu nunca tinha notado nem sequer me lembrava de como ela tinha sido feita... aquela observação me levou a tantos outros pensamentos que passei o restante da aula viajando no tempo e no espaço. Sempre fui muito preocupado em evoluir de dentro para fora. Talvez por isso que ao conhecer o Yôga eu tenha me identificado tanto.

Costumamos não conhecer nosso próprio corpo físico - lido com este desafio diariamente em cada ásana no Yôga que tenho que avançar, avançar e avançar quando o corpo, na verdade, já está no limite físico - e por vício e comodismo sempre colocamos nossa atenção apenas no mundo externo. É sempre mais fácil perceber os erros/defeitos nos outros do que em nós mesmos! A velha mania de apontar os dedos.

Geralmente é notório quando uma pessoa não se aceita fisica ou psicologicamente. Ela é azeda, amarga, pessimista e agressiva. Estas pessoas, negativas, estão sempre cercadas de problemas, dramas e incidentes. São reações geradas pela incapacidade de se "conhecer". Temos que ser fortes para encarar nossos próprios defeitos, pois só assim poderemos dizimá-los e/ou reduzí-los de tal forma que sejam imperceptíveis! Cultivar o bem e reduzir o mal. Iluminar de dentro para fora para que nossos 'quartinhos' escuros percam a força! Fácil não é, mas os resultados são extasiantes.

Autoconhecimento é necessário de forma infinita em nossas vidas. Acho uma discrepância a sociedade moderna que incentiva e valoriza o silicone, os corpos esculturais, os dentes artificiais, as pílulas sexuais etc mas mascaram a realidade interna. Acho necessário e altamente recomendado que as pessoas se cuidem e sejam vaidosas. Mas a vaidade isolada do autoconhecimento é algo totalmente pernicioso!

A cada quilo levantado nas academias deveríamos criar novas sinapses cerebrais lendo um bom livro, aprendendo um novo idioma, praticando uma meditação etc.

O que futuramente pode acontecer é que teremos corpos perfeitos carregando mentes desequilibradas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio