20 de fevereiro de 2011

Gran Torino e Ivan Illich

Terminei de reler um dos melhores livros que eu considero: A Morte de Ivan Illich (1886). Em suas páginas o autor, Leon Tolstoi, descreve a história curta e dilacerante da vida de Ivan Illich - um prepotente e arrogante juiz que adoece aos 45 anos de uma grave enfermidade e começa um calvário de sofrimento. Descobre que não tem amigos, nem o apoio da família, muito menos do médico. Uma das cenas mais simbólicas é aquela em que ele consulta um famoso doutor que o trata da mesma forma grosseira e impaciente que ele tratava as pessoas no tribunal.

Hoje assistindo a GRAN TORINO (EUA, 2008) dirigido e protagonizado por Clint Eastwood, não pude deixar de fazer esta comparação.

Ambas as obras são dignas de admiração, não só pelo seu talento artístico e dramático, mas por nos tirar da zona de conforto tentadora que nos faz acreditar que somos melhores, diferentes e que nada disso acontecerá com a gente. Trata da velhice como ela é, sem máscaras - que por si só já é dura! Mostra que a diferença não está na idade que temos e sim na forma como tratamos as pessoas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio