27 de setembro de 2010

Carroça Humana



Na nossa correria cotidiana acabamos nos irritando por qualquer coisa, até por quem está catando lixo para sobreviver. Em Sampa é extremamente comum vermos o "homem-formiga" - também conhecido como carroceiro - cortando caminho, vagarosamente, entre carros, motos e pedestres. Entre gás carbônico, detritos e esgoto, ele está sempre carregando suas tralhas - geralmente pilhas de papéis, plásticos, pneus, vidro, grades, móveis e todo tipo de quinquilharia que NÓS usamos e descartamos. Com a ajuda deste zé-ninguém, mais de 9 bilhões de latinha são levadas para reciclagem.

Uma amarga ironia, pois o lixo que descartamos acaba se voltando contra nós e/ou contra nosso egoísmo cotidiano. Não é ele que vai devagar, somos nós que estamos apressados demais. Concordo, ele realmente atrapalha a correria dos paulistanos estressados por natureza, mas custa termos um pouco mais de paciência e respeito por quem está sobrevivendo com os restos que nós abandonamos?!

Ele, além de tudo, não está poluindo nossos ares nem tampouco está emitindo gases tóxicos que nos adoece cada dia mais.

Ele não existe em lugar nenhum, não tem PIS, nem endereço fixo, nem sequer registro bancário... ele vive SEM cd, dvd, celular, TV de led, cinema, roupa, iPod, computador etc... e você ainda se irrita quando ele, por necessidade, atravessa seu caminho?

Que mundo você, realmente, vive?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio