19 de outubro de 2009

Os olhos dos meus olhos



No interior de Goiás, algumas pessoas têm a mania de se referir ao sexo como "fazer bobagem". A priori é engraçado ouvir tal expressão, mas se tirarmos nossos olhos da casca e adentrarmos no subconsciente da palavra, poderemos ver com os olhos de nossos olhos. A culpa, geralmente 'ensinada' na infância, está atrelada ao conceito de que sexo é ruim, é pecado. Quase sempre passamos uma vida toda tentando reverter esta visão. Repetimos certos conceitos, quase sempre automaticamente, e não percebemos que isso só nos cega e nos faz enxergar apenas o óbvio. E assim nos tornamos um mundo superficial, de pessoas óbvias, estagnadas e estancadas no comportamento repetitivo e, geralmente, sem identidade.

De todos os nossos sentidos (e aqui não irei discutir se são 5 ou 6, como a maioria insiste) o que mais aperfeiçoamos - diria que por mero comodismo - é a visão. Esta poderosa ferramenta pode construir ou destruir o nosso mundo interno. Os chamados 'espelhos da alma' podem nos levar à escuridão absoluta ou ao paraíso extasiante.

Hoje, ao vir para o trabalho, ouvi uma senhora chorando ao telefone aos berros com sua filha. Depois de alguns minutos tagarelando, ela sabiamente falou em tom de prece: " - Filha, eu não sou chorona, eu sou sentimental... Tenho mais motivos para rir do que para chorar!" Eu achei sensacional esta pérola dita por ela, principalmente naquele momento delicado - ela tinha se machucado ao cair de uma escada. Pensei comigo: Que linda maneira de ver a vida e os acontecimentos! Que olhos apurados e dignos de admiração. Inevitável não pensar no adágio bíblico: "o pior cego é aquele que vê e finge que não vê". E o engraçado é que ela caiu, segundo o que ouvi parcialmente da conversa, por não ter visto o degrau. Drummond transformou a pedra que viu em seu caminho em poema.

Há muitas pessoas que enxergam perfeitamente, mas nada vêem. Para ver uma árvore nem sempre é preciso abrir a janela. Nestes dias de chuva e frio, inúmeras pessoas gastam horas reclamando do mau tempo. Quando faz sol, idem. Nossos olhos podem e DEVEM ser REeducados diariamente. É mais cômodo ver o lado feio de toda situação e de toda pessoa. Ver o belo quase sempre exige um certo esforço e inteligência. Um lindo bordado, se virado ao avesso, não passa de um desengonçado emaranhado de linhas. Você escolhe como quer ver a situação e tem que ter total consciência de que o seu PONTO de vista é sempre, no mínimo, bilateral. E ainda que fosse unilateral, seria apenas o SEU...!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio