1 de julho de 2009

Precisamos de um PRÉ-conserto!



Alguns comportamentos estão tão arraigados em nosso dia-a-dia que não percebemos a profundidade que eles habitam. Um deles é o preconceito. Nós, brasileiros, somos um povo alegre, extrovertido, batalhador, guerreiro - e altamente preconceituoso!

Temos uma infinidade de situações que possibilitam o cruel exercício do preconceito, uma delas é a famosa piadinha. Tem piadinha para loira, negro, nordestino, pobre, padre, mulher, português etc. Todas salientam o forte sentimento sádico-moral chamado 'preconceito'. Pessoas preconceituosas geralmente procuram ocupar um papel divertido, para mascarar seu sadismo. É uma espécie de 'bobo da corte'.

As piores, a meu ver, são aquelas que referenciam a situação desfavorável de uma pessoa ou um grupo.

Com a recente morte do ícone pop MJ, pude ouvir - e receber por e-mail - piadinhas do tipo:


1. Michael Jackson morreu e ao fazerem
sua autópsia encontram no seu estômago vestígios de pé-de-moleque.


2. MJ chegou no céu e a primeira coisa
que quis ver foi o menino Jesus.

Sinceramente, o que me desperta pena não é a piada em si, mas a atitude da pessoa que envia e/ou faz este tipo de comentário! Que somos preconceituosos, isso é fato! Mas disseminar um comportamento sádico e doentio é algo altamente inadimissível nos tempos atuais. Os maiores preconceituosos tentam mascarar seu sadismo em forma de piada, imaginando que assim a sua agressão seja mais fácil disseminada - e frequentemente é, por conta da nossa vil cumplicidade. Eles, os agressores, só existem por conta de nós, os receptores, que também somos tão responsáveis quanto eles no complexo movimento agressivo.

Uma amiga querida, outro dia por e-mail, admitiu ser preconceituosa e que precisava melhorar isso. Uau! fiquei feliz ao ler tamanha sinceridade dela, pois eu jamais imaginaria que ela seria preconceituosa aos extremos e muito menos que estaria disposta a lutar contra os seus auto-demônios! Pensei ao ler seu e-mail: "Nossa, isso sim que é maturidade! Reconhecer seus defeitos, referenciá-los e ainda assim formalizar uma batalha."

Não é confortável, nem é fácil enumerar nossos erros, falhas e preconceitos. Certamente não é uma tarefa para qualquer pessoa. Ponto para quem admite suas falhas e está disposto a estirpá-las. Num mundo tão agressivo e preconceituoso, pessoas assim nos fazem acreditar no azul do céu - mesmo quando está nublado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio