17 de junho de 2009

Assalto e dignidade



Para algumas pessoas, o excesso de bom humor matinal é uma ofensa, para outras é uma atitude necessária. O sorriso agride quando estamos chorando. O choro incomoda quando estamos sorrindo. De forma que não importa o estado de espírito que você esteja agora, sempre haverá o lado 'negro' da força para contrabalancear as nossas energias. Saber CON(viver) com esta dualidade é que nos trará o tão sonhado equilíbrio e a disputada paz de espírito.

Mas nada me deixou mais perplexo do que ter ouvido um comentário a princípio sem importância - levando em consideração a vida que uma metrópole oferece - de um estranho na mesa ao lado no restaurante:

- Pois é, ele foi assaltado porque ficou dando 'bandeira' a noite falando ao celular naquela rua escura! Eu disse isso para ele!

A pobre pessoa assaltada, além de ter sofrido o trauma da violência em si, de ter perdido bens materiais e dinheiro, ainda tem que ouvir um "amigo" descarregar-lhe toda a maldade sádica e injusta. Estamos num época onde ser assaltado, agredido, roubado, violentado, não basta. É preciso ouvir uma gama de pessoas que irá apontar os dedos e acusar, mas estender a mão para acolher, acomodar, entender, compreender... Ah, isso meu caro, está extinto!

Fiquei pensando por um bom tempo na pessoa que sofreu o assalto, não no assalto material praticado pelo ladrão, e sim no assalto de dignidade que seu 'amigo' lhe cometeu ao disparar uma frase tão desumana! As pessoas perdem muito tempo em acusar e não gastam um segundo sequer em defender. O mundo vai ficando egoista, o tempo vai ficando escasso e a correria do dia-a-dia engole o mínimo de humanidade que ainda nos resta. Não temos tempo para mais nada! Cada um no seu quadrado... Que triste!

2 comentários:

  1. è verdade já me vi fazendo esse tipo de comentário "deu bandeira", precisamos nos reavaliar .Bjs

    ResponderExcluir
  2. Sim Querido Flávio!!!!

    Quando não podemos ajudar ouvindo, escutando, silenciando.
    Exigir de quem ainda não sabe ouvir e calar!!!!
    Quem sabe nunca saberá!!!

    Tua sensiblilidade é comovente!!!
    Um abraço
    Cenira

    ResponderExcluir

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio