22 de maio de 2009

O belo e o 'fera'




Está em cartaz no Teatro Abril o musical da Disney "A bela e a fera" que traz, entre tantas outras coisas, muitos momentos emocionantes, um show de tecnologia e beleza raramente apresentados no teatro brasileiro. A multinacional empresa Disney sabe como atingir seu público em cheio criando histórias universalmente comoventes capazes de arrebatar os corações infantis e adultos sem muita dificuldade. O ideal de que o amor supera qualquer dificuldade, até mesmo a feiura, é sempre bem aceito por todos - ainda que esta aceitação só seja possível na ficção! O belo, retratado no espetáculo, é o que temos por dentro e independe da aparência física! Este deve ser o valor maior a ser conquistado.

Ao mesmo tempo que um espetáculo deste porte é capaz de nos extasiar a alma com tamanha beleza, temos que deparar diariamente com cenas trágicas e friamente crueis na megalópole paulistana.


Voltando do teatro, vi na rua no meio do asfalto coberto por um saco preto um corpo ensanguentado. Fitas listradas de preto e amarelo circundavam o corpo formando um triângulo de isolamento, impedindo as pessoas de aproximar para matar as suas curiosidades insanas. Carros de polícia, sirenes, ambulância... uma legítima cena saída de um seriado policial! Uma cena inesquecível e marcante! Assalto? Crime passional? Violência? Agressão?


Segui adiante pensando:
- Não consigo acreditar no que nós seres humanos estamos nos tornando!


Gostando ou não, esta é São Paulo: oferece o mais belo que nossos olhos podem ver, mas simultaneamente nos força a 'engolir' o lado mais feio e negro que um ser humano pode desenvolver. O belo e o 'fera' convivendo, não pacificamente, mas como numa relação de dependência! O prazer e a dor numa dança frenética e insaciável! A co-dependência doentia.


Será que estou querendo criar um mundo idealístico e romântico? - dormi pensando e acordei sem resposta.


Um comentário:

  1. Flá,
    Talvez o título dessa postagem pudesse ser "O belo e o Feio" que é o que retrata nossa sociedade. Mas a cura para esses "doentes" que comentem barbaridades e deixam nosso mundo feio, está longe de ser alcançada, pois quem tem o poder de mudar a situação muda apenas a bunda de lugar e o resto que se exploda, para não dizer que se...
    Acredito que devemos continuar lutando e tentando mudar para melhor, se não para nós, para nossos filhos.
    Bjs
    Silvinha Reis

    ResponderExcluir

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio