16 de abril de 2009

Vida estúpida


Wilhelm von Kaulbach, A Destruiçãoo de Jerusalém por Tito, 1846

Vivemos uma desvairada correria
Queremos o belo inatingível
Compramos, gastamos, entupimos
Intencionamos preencher o vazio esfomeado
Acumulamos lixo como ninhos de ratos
Competimos para ser o melhor
Desejamos sexo intenso e vigoroso
Sonhamos com um amor novelístico
Aspiramos uma paixão avassaladora
Buscamos lugares personalizados
Falamos muito de tudo o tempo todo
Refletimos nada de nós mesmos nunca
Destruimos o planeta por consumismo
Alimentamos falsas conscientizações
Sete palmos nos esperam
Corra, compre, acumule!
Oh, vida estúpida!

16/04/2009

2 comentários:

  1. Querido amigo Favio Vicente!!!


    "Refletimos nada de nós mesmos nunca"

    "AFIRMAÇÂO na NEGAÇÃO"

    REESCREVO minha leitura!!!

    REFLETIMOS "TUDO" de NÓS MESMOS "SEMPRE".

    Quando pensa estar perdido
    É quando estás encontrado.
    Um abraço.
    Cenira

    PS: LINDAS fotos, poesias, ricos conteúdos!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto.
    Beijos
    Toti

    ResponderExcluir

Agradeço o seu comentário, é sempre bom exercitarmos a nossa melhor e mais eficiente qualidade: comunicação!
Forte abraço,
Flávio